Foco e escopo   

A tecnologia é inegavelmente fundamental para o desenvolvimento de um povo. Uma nação que almeja ser forte não pode abrir mão da tecnologia. Mas não há máquina, equipamento, softwares e congêneres que existam ou sobrevivam sem o conhecimento. Vivemos na era do conhecimento, em que o saber é a pedra fundamental de toda inovação, de todo crescimento e de toda conquista.

 

Assim, as faculdades de tecnologia sempre privilegiaram a interdisciplinaridade na concepção de seus cursos e desta forma oferecem a seus alunos uma gama de conteúdos que atende às demandas atuais e permite vislumbrar um futuro promissor. Portanto, ao lado das matérias específicas dos cursos tecnológicos e técnicos, há aquelas que prezam pelo lado humano e cultural servindo de escopo para a edificação de profissionais modernos e competentes, com capacidade crítica ante as diversas facetas da contemporaneidade.

 

Se no início, a Revista de Humanidades, Tecnologia e Cultura tinha caráter mais regional, hoje essa barreira se rompeu e a contribuição intelectual vem de todos os estados brasileiros e também de diversos países, como Portugal, Angola, Espanha. É voltada para o colégio de humanidades envolvendo as ciências humanas, assim com as ciências sociais e aplicadas e letras. 

 

No último quadriênio vigente, 2013-2016, de avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), temos publicações nas áreas de Arquitetura, Urbanismo e Design (Qualis C), Comunicação e Informação (Qualis C), Educação (Qualis B5), Ensino (Qualis B4), Filosofia (Qualis C), História (Qualis C), Interdisciplinar (Qualis B5), Linguística e Literatura (Qualis B5) e Sociologia (Qualis B5).

Processo editorial

Verde Escuro Minimalista Mapa Mental do Escritor.jpg

Indexador

logo_livre revistas de livre acesso.png

Projeto Gráfico

Ana Cristina M. Ferreira

Periodicidade

Anual